???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/tede/handle/tede/102
Tipo do documento: Dissertação
Título: Dificuldades encontradas pelos responsáveis, para manter a saúde bucal em portadores de necessidades especiais
Autor: Marra, Pinkie Seabra
Primeiro orientador: Miasato, José Massao
Primeiro membro da banca: Castro, Gloria Fernanda Barbosa de Araújo
Segundo membro da banca: Oliveira, Leila Maria Chevitarese de
Terceiro membro da banca: Silveira, Roberto da Gama da
Resumo: O presente estudo, realizado no município do Rio de Janeiro em duas Instituições distintas denominadas de Grupo A e grupo B, teve como objetivo avaliar a saúde bucal dos pacientes portadores de necessidades especiais e as dificuldades apontadas por seus pais para manter a saúde bucal de seus filhos. Verificar presença de placa visível e/ou gengivite nos pacientes, bem como, correlacionar o nível sócio-ecônomico dos pais com suas necessidades e verificar se as dificuldades apontadas serão as mesmas e se existe uma preocupação dos médicos, em relação á saúde bucal do paciente especial. A amostra foi constituída por 102 pares (pais/filhos) sendo 51 pares do grupo A e 51 pares do grupo B. Os grupos se apresentaram bem distintos quanto às condições sócio-econômicas e culturais, e bastante equilibrados em relação ao gênero, 51% dos pacientes são do gênero feminino e 49% são do gênero masculino. A média de idade dos pacientes, na amostra, foi de 12 anos. As entrevistas foram conduzidas aos pais juntamente com seus filhos, e em seguida foi realizado o exame clínico. Os resultados do estudo mostraram que, apesar da grande diferença sócio-econômica entre os grupos (p<0,001), as maiores dificuldades apontadas pelos pais para manter a saúde bucal dos seus filhos foram às mesmas: encontrar um dentista que atenda seu filho; e o alto custo do tratamento odontológico. Quanto à preocupação dos médicos em relação à saúde bucal dos seus pacientes especiais, poucos são os que se preocupam. Os resultados mostraram que 66,3% dos pediatras não encaminharam o paciente para o dentista, evidenciando um trabalho individualizado dos médicos pediatras. Foi verificado que esses pacientes apresentaram alto índice de tratamento dentário invasivo e quanto menor o nível de instrução e socioeconômico dos pais maior as chances de seus filhos terem placa visível e gengivite. Observou-se ainda, que essas dificuldades encontradas pelos pais se constituíram em fatores de risco à saúde bucal de seus filhos. O que sugere, desta forma, a implementação de um protocolo de programa – com uma visão multidisciplinar – educativo e preventivo de atenção primária aos pacientes portadores de necessidades especiais.
Abstract: The present study, done in the city of Rio de Janeiro in two different institutions named Group A and Group B, had the objective to evaluate the oral health of patients with special needs and the problems found by parents to maintain the oral health of their sons.Verify the presence of visible plaques and/or gingivites in patients, as well, correlate the economic level of parents with their needs, and verify if the difficulties pointed will be the same showed, and also see if there is any kind of concern by physicians about the oral health of patients with special needs. A sample was constituted by 102 pairs (parents and children), of which 51 pairs belongs to group A and 51 pairs belongs to group B. The groups presented themselves far different as to social-economic and cultural conditions, and well balanced in terms of gender, 51% from the patients are female and 49% are male. The mean of the patients’s age, on the total sample, was 12 years old. The interviews were done together with children and parents, and right after, the clinical exames were done. The results of the exams showed that in spite of the social-economic differences between the groups (p-value less than 0,001), the great difficulties pointed by the parents to maintain their children oral health were the same: finding a dentist to take care of their children; and the high cost of dental care. As to the doctor’s concernings in relation to the oral health of their mentally retarded pacients, it was shown that just few doctors care about it. The results showed that 66.3% of pediatricians did not send their pacients to a dentist, what demonstrate that the pediatrician’s job is individualized. It was verified that these pacients showed a high number of invasive oral treatment and the lower the parent's educational and social level, the higher the chances of their sons presenting visible plaque and gingivites. It was also observed that the difficulties found by parents were also risk factors to the oral health of their children. Which suggests, in that way, that is necessary the implementation of a protocol program - with a multidiciplinary vision – of primarily educational and preventive attention to children with special needs.
Palavras-chave: Odontologia
Odontologia pediátrica
Saúde bucal
Área(s) do CNPq: ODONTOLOGIA::ODONTOPEDIATRIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Grande Rio
Sigla da instituição: UNIGRANRIO
Departamento: Unigranrio::Odontologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Citação: MARRA, Pinkie Seabra. Dificuldades encontradas pelos responsáveis, para manter a saúde bucal em portadores de necessidades especiais. 2007. 99, f. Dissertação (Mestrado em Odontologia) - Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy", Duque de Caxias.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/102
Data de defesa: 18-Apr-2007
Appears in Collections:Coleção de Pós-Graduação em Ensino das Ciências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Pinkie Seabra Marra.pdfCompleto1,26 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons